RESENHA DO FILME UM LUGAR SILENCIOSO

Nome: Um Lugar Silencioso
Ano: 2018

Sinopse: Em uma fazenda dos Estados Unidos, uma família do meio-oeste é perseguida por uma entidade fantasmagórica assustadora. Para se protegerem, eles devem permanecer em silêncio absoluto, a qualquer custo, pois o perigo é ativado pela percepção do som.

Resenha: De uns anos para cá, o cinema do terror vem tentando trazer obras decentes, embora venha errando a mão na maioria delas, apostando em jump scares batidos e enredos definitivamente sem graça.
Mas, é claro, sempre aparece aquela obra que te faz enxergar que o terror não morreu (seria melhor se tivesse morto? Deu pra sacar a ironia?). Uma dessas obras se chama Um Lugar Silencioso, um dos meus favoritos dessa nova safra.

Acompanhamos no filme todo o drama e o desespero da família Abbot, em um mundo onde criaturas aparecem assim que qualquer barulho é emitido.
Temos o pai, Lee; a mãe, Evelyn; e as crianças, Marcus e Regan (interpretada brilhantemente por Millicent Simmonds).

Durante a trama, dentre tantas situações tensas que fariam qualquer um quebrar o silêncio, descobrimos que Evelyn está grávida. Sim, grávida! Agora imagina dar à luz um bebê num  mundo onde não se pode haver som!

E é daí que vem a força grandiosa do filme. Um Lugar Silencioso inova na possibilidade de tensão crescente dentro de um contexto de suspense/terror, o que é (pelo menos deveria ser) o grande potencial de causar medo; elevar a tensão, apresentar uma força desconhecida que tenha capacidade real de causar estragos. Pra terminar, todo esse enredo de ânsia e sobrevivência se passa em torno de uma família.

Oh, God! E quem não teria ainda mais medo daquilo que não se pode controlar quando são seus filhos e/ou sua/seu esposa/marido que estão em risco? Como fazer um parto em um lugar assim? Como passar seus dias tentando não emitir som algum?

Não, não, sem spoiler! Só digo que vale a pena assistir. Dou a você a certeza de que enquanto assiste ao filme, terá a impressão de que está ali junto com aquela família, passando por todas as dificuldades que eles estão passando.

Um filme inquietante, forte, tenso, que não te faz piscar em nenhum momento sequer, mas que te faz se segurar na cadeira e te deixar totalmente quieto, com medo de que algum barulho seu possa interferir nos planos dos personagens.

Por: Diego Scariot

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.